quarta-feira, 5 de julho de 2017

O que rolou... Junho/2017

Olá de novo!

Mais um mês chegou ao fim. Foi cansativo por vários motivos e também foi triste, porque minha companheira de sofá e de outros momentos virou estrelinha. Na retrospectiva de hoje, resumo o que li e assisti em junho e deixo uma fotinho da Frida, que sempre me ajudava a escolher as leituras.

Livros
Estou com várias leituras em andamento, mas em junho finalizei só 1 livro:

- Assassinato no Expresso do Oriente (Agatha Christie): Agatha Christie foi uma das minhas autoras favoritas na adolescência, mas as técnicas mirabolantes de seus detetives para resolver os crimes já não me agradam tanto quanto antes. Mesmo assim, a leitura de seus livros continua divertida [***].

Filmes
Assisti a 15 filmes em junho. Separei a lista por áreas de interesse (minhas) nos filmes. Favorito dos favoritos: ‘Electric Shadows’, ‘A Caça, ‘Restaurante Gaivota’, ‘Divinas Divas’ e ‘Zoom’.


Para a aula de Cinema, Filosofia e Teoria Social:
- A caça: Um dos meus filmes favoritos da vida (já tinha resenha antiga aqui no blog). Continua incômodo e triste. Daqueles que melhoram a cada sessão. E ainda me fez começar a acompanhar a carreira do Mads Mikkelsen.

Para o #vejamaismulheres:
(Os quatro primeiros, junto com ‘A Deusa de 1967’, já resenhei no post temático sobre 5 diretoras asiáticas)
- Electric shadows: Nesta grande celebração ao cinema, a diretora retrata a importância das projeções em praça pública para o povo chinês em época áurea do regime comunista, mostra o preconceito contra as mães solteiras, aborda o tratamento preferencial dispensado aos filhos em detrimento das filhas e enaltece a força da amizade. Preciso dizer que adorei?.
- História mundana: Uma narrativa que avança e retrocede no tempo para contar a história de um jovem que fica paralisado após um acidente, seu cuidador e seu pai. Não é tarefa fácil acompanhar a diretora com seu estilo intimista, mas achei interessante.
- Caminho para casa: Um garoto de 7 anos criado em Seul vai passar algumas semanas com a avozinha muda e encarquilhada em um povoado rural. O choque de gerações e de valores é inevitável, mas o tempo ajeita as coisas. Deixem um lencinho à mão.
- Restaurante Gaivota: Três japonesas que não se conheciam têm o destino cruzado em um restaurante na Finlândia. Uma história delicinha com um visual encantador. Mas já aviso: dá fome... rs .
- Divinas Divas: Estreia da atriz Leandra Leal na direção. A vida das divas da primeira geração de travestis brasileiras nos palcos e fora dos holofotes. Um trabalho cuidadoso e uma história que emociona e faz rir.
- Adoção: Uma mulher de meia-idade que deseja ter um filho. Uma jovem sob a tutela do Estado que deseja sair e se casar com o amado. E assim surge uma ligação. Filme húngaro para o segundo ciclo de filmes do leste europeu.
- Meu cachorro assassino: Quando um cachorro é o único ser vivo com quem uma pessoa consegue se conectar... Filme sem firulas sobre a solidão e a falta de afeto.  
- Retrato no crepúsculo: Um começo promissor sobre uma assistente social estuprada por policiais e sua trajetória desde então. Eu esperava outra coisa, sei lá. Não gostei do rumo que as coisas tomaram. Falo mais sobre isso na resenha.  
- A justiceira: Mais um que começou de forma espetacular, mas que acabou sendo apenas mediano.

Just for fun:
- Viagem a Darjeeling: Um filme do Wes Anderson que eu ainda não tinha visto. Não é dos meus preferidos, mas tem uns bons momentos.
- O caseiro: Terror nacional. Achei as falas e as atuações fracas, mas o clima de mistério é bacana. E conseguiu me enganar no desfecho, então valeu a pena.
- Zoom: Três histórias em que o papel de criador e criatura se confundem. Gostei muito.
- Michael Jackson’s Journey to Motown to Off the Wall: Documentário do Spike Lee sobre o comecinho da carreira solo de Michael Jackson.
- Sob pressão: Filme acelerado sobre a rotina de um hospital público brasileiro. Gostei da ideia, mas achei que foram eventos demais em menos de duas horas de duração.

Séries

Terminei a quinta temporada de ‘Prison Break’ (altamente decepcionante), finalizei a oitava temporada de 'The Middle' (divertidíssima, como sempre, e com direito a um episódio à la 'La la land') e devorei a maravilhosa ‘The Handmaid’s Tale’ (que conseguiu melhorar ainda mais o já excelente livro).

E vocês, o que aprontaram em junho? 
Beijo!

3 comentários:

Jeniffer Geraldine disse...

Poxa, sinto muito por Frida :(
Quero reler, em breve, o Assassinato no Expresso do Oriente. E quero ver um jeito de assistir Divinas Divas.
Estou criando coragem para ler/ver The Handmaid’s Tale.
bjão e bom junho!

livroseoutrasfelicidades disse...

Michelle, sinto muito pela sua gatinha... Que bom que vocês puderam compartilhar tantos momentos de aconchego literário.

Michelle disse...

Jeniffer,
Tks! Quero ver a nova adaptação do livro da Agatha Christie. E bora ler/ver Handmaid's Tale. Certeza que você vai gostar!

Julia,
Verdade. Obrigada! <3