sexta-feira, 3 de março de 2017

O que rolou... Fevereiro/2017

Oi!

Janeiro foi um ótimo mês de leituras, mas em fevereiro as coisas ficaram difíceis e não li tudo o que tinha programado. Continuei assistindo aos filmes do Oscar e consegui ver todos que queria. Vi um documentário sobre o Stanley Kubrick para o curso (que, aliás, foi incrível) e agora só preciso rever dois dos meus preferidos (‘O iluminado’ e ‘De olhos bem fechados') e terminar o livro sobre o diretor. No geral, foi bom, mas poderia ter sido melhor. Vamos ao resumo, então!

Livros
Li apenas 3 livrinhos (dois deles bem curtos, daqueles que se lê em uma sentada) e fiquei com uns tantos em andamento. Veremos se consigo terminar algum deles em março.

- Pequenas grandes mentiras (Liane Moriarty): Nunca tinha me interessado em ler esse livro, até que divulgaram o lançamento da série de TV. Furei a fila com ele e foi uma ótima surpresa! [#VoltaAoMundo]
- Pedro Páramo (Juan Rulfo): Não sei direito o que pensar sobre esse livro. Achei a escrita muito boa, mas não consigo decidir se gostei muito ou mais ou menos da história.
- Distância de resgate (Samanta Schweblin): Mais uma leitura maravilhosa de fevereiro. É doideira, mas é das boas. Acreditem. [#VoltaAoMundo]

* Publicada a resenha de 'O retorno do nativo' (Thomas Hardy).

Filmes
Apesar do mês mais curto, vi 17 filmes em fevereiro. Nada mau. O favorito foi ‘O apartamento’, mas vários outros foram quase cinco estrelas também... rs. A decepção do mês (e forte concorrente a pior do ano foi 'Elle').


- A tartaruga vermelha: Um dos concorrentes a Melhor Animação no Oscar 2017. Achei muito bonito e delicado, cheio de simbologias. É um filme que exige atenção e gera muita reflexão (rimou!).
- Elle: Já disse que foi muito ruim. Filme no estilão Supercine (um dos piores exemplares do gênero, ainda por cima). Também concorrente ao Oscar 2017 – Melhor Atriz.
- Jackie: Mais um da categoria Melhor Atriz. Não ganhou, infelizmente. Era meu favorito. Natalie Portman está excelente.
- Estrelas além do tempo: Indicado na categoria principal, entre outras. Mulheres incríveis, filme mediano.
- Moonlight: Vencedor do prêmio principal. Uma lindeza. Embora eu também tenha gostado muito de La la land, achei o resultado merecido.
- Um limite entre nós: Adaptado de uma peça, o estilo teatral é claramente perceptível, principalmente na primeira meia hora. Gostei, especialmente do trabalho da dupla principal. Viola Davis levou o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante, Denzel Washington foi indicado como Melhor Ator, mas não ganhou.
- Lion – Uma jornada para casa: Uma das grandes surpresas para mim. Não sabia nada sobre a história e adorei.
- Kubo e as cordas mágicas: Minha animação preferida entre os indicados. Não trata crianças como imbecis e aborda temas pesados com delicadeza.
- Stanley Kubrick – Imagens de uma vida: Ótimo documentário sobre o diretor. Muitas curiosidades e depoimentos de colegas de trabalho.
- Born in flames: Mais um grande achado essa distopia dos anos 80 que aborda problemas que, infelizmente, continuam atuais. Em breve sai resenha para o #vejamaismulheres.
- Loving: Mais um filme do Oscar que aborda o racismo. Baseado em uma história real.
- O apartamento: Terceiro filme que vejo do Asghar Farhadi, terceiro filme a entrar para a lista de preferidos. Vencedor na categoria Melhor Filme Estrangeiro. Nada mais justo.
- Vida, animada: Documentário indicado ao Oscar sobre a influência das animações Disney na vida de um autista. Muito interessante.
- Mulheres do século XX: Um dos indicados (a Melhor Atriz) menos badalados, mas foi um dos que mais gostei. Quero o DVD.
- Eu não sou seu negro: Mais um documentário indicado. Complementa perfeitamente o que é discutido por outro concorrente: 'A 13a emenda'. Muito bom.
- Minha vida de abobrinha: Animação em stop motion (amo!) com visual fofo, mas que trata de assuntos pesados. É classificado como ‘Livre’, mas não acho apropriado para crianças. Um bom filme. Devo falar dele em algum post futuro.
- De amor e trevas: Primeiro longa dirigido pela atriz Natalie Portman, baseado no livro de Amós Oz. Achei ótimo. Também deve pintar por aqui em breve.

* Publicado o post sobre 'A 13a emenda' / 'Toni Erdmann'.
* Todos os posts sobre o Oscar 2017. 

Séries
Aleluia, aleluia: consegui terminar a segunda temporada de ‘House of Cards' (vamos ver se enrolo menos nas próximas). Assisti à terceira temporada de ‘Mozart in the jungle’ (uma das minha séries queridinhas) e me diverti muito com a primeira temporada de duas séries novas: ‘Santa Clarita Diet' (esta já tem post) e ‘Sneaky Pete’ (já falei sobre ela AQUI, mas o post deve sair semana que vem).


* Publicado o post de 'Broadchurch' - Temporada 1.
* Publicado o post de 'Lúcifer' - Temporada 1.

E pra vocês, como foi o mês do carnaval?
Beijo!

4 comentários:

Carissa Vieira disse...

Mulheres do século XX também foi um dos meus filmes favoritos.
Eu também não gosto de Elle. Acho o discurso problemático demais.

E quero muito ler o Pequenas Grandes Mentiras.

Beijos!

Lígia Barros disse...

Também não acho "Minha vida de abobrinha" muito apropriado para crianças, pelo menos não para as pequenas. Adorei o filme!

Sempre esqueço que já tem a terceira temporada de "Mozart in the Jungle". Tenho que assistir.

Jeniffer Geraldine disse...

Estou bem curiosa com "Pequenas grandes mentiras". Coloquei na lista por causa da série. Bom saber que vc gostou.
Ainda não vi O Apartamento e Lion, mas estão na minha lista.
bjos

Michelle disse...

Carissa,
Pois é. O Mulheres do Século XX merecia mais destaque. E do Elle não gosto nem de lembrar...

Lígia,
O pior é que vi classificado como 'livre'. Acho que só olharam que era animação e já deduziram que era infantil :(

Jeniffer,
Pequenas Grandes Mentiras foi um livro que me surpreendeu. Eu imaginava algo totalmente diferente. Ainda bem que decidiram fazer série, senão provavelmente não teria lido.
O Apartamento foi um filme que atendeu às minhas altas expectativas. Lion foi mais uma grata surpresa.