sábado, 11 de novembro de 2017

Veja Mais Mulheres: Filmes #43-47

Oiês!

Como já mencionei anteriormente, em outubro rolou a 41ª Mostra Internacional de Cinema de SP. Este ano, consegui ver 8 filmes, sete deles dirigidos por mulheres. Falarei sobre 5 deles neste post e sobre os demais na postagem seguinte, OK? Dois filmes desta primeira leva têm diretoras suecas (‘Ex-mulher’ e ‘Epifania’), dois têm diretoras suíças (‘Mulheres divinas’ e ‘Sarah interpreta um lobisomem’) e um tem diretora georgiana (‘Scary mother’).

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Resenha: Pseudônimo Mr. Queen


Vinte e um de dezembro de 2012, suposta data do fim do mundo, de acordo com uma previsão maia. Em 'Pseudônimo Mr. Queen' o mundo terminou mesmo, mas não com uma catástrofe natural que impossibilitaria que homens e animais continuassem vivendo, e sim com uma reconfiguração: a maior parte da população mundial simplesmente desapareceu sem deixar vestígio e as cidades foram mudando aos poucos, com o sumiço gradual das construções e dos bens materiais. As pessoas agora precisavam se ajustar às novas regras de existência, que lhes eram informadas em sonho: todos teriam 2 vidas, sendo a primeira até os 70 anos e a segunda dos 20 aos 100, sem um segundo a mais ou a menos. Na nova sociedade não haveria desigualdade social, nem dinheiro, nem doenças – tudo perfeito. Pelo menos aparentemente.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Chegou em Casa - Outubro/2017

Oi, gentes!

Um pouco atrasado, mas aqui está o post de novidades de outubro. Algumas coisas chegaram no comecinho de novembro, mas já vou botar tudo junto.


sexta-feira, 3 de novembro de 2017

O que rolou... Outubro/2017

Oiê!

Outubro foi um mês agitado, mês de curso sobre Elena Ferrante, mês de Mostra de Cinema de SP. Estou cansada, mas feliz. Vejamos o que rolou.

Livros

Em outubro, li 4 livros:

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Resenha: We Have Always Lived in the Castle


Merricat e Constance Blackwood vivem isoladas em um casarão com seu velho tio, Julian, e o gato Jonas. Apesar da rotina rígida que impõem a si mesmos, eles aparentemente são felizes em seu pequeno universo particular. No entanto, a chegada do primo Charles, com quem as moças não tinham contato havia anos, afeta o delicado equilíbrio daquele núcleo familiar e leva a um desfecho da história no mínimo intrigante.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Lizzie Borden em Dose Dupla


Lizzie Borden é uma das figuras americanas cuja atração resiste ao tempo e ainda hoje continua fascinando e horrorizando pessoas no mundo todo. Prova disso é o número de vezes que a história da moça que supostamente matou o pai e a madrasta a machadadas (o crime nunca foi comprovado) em 1892 já foi contada em filmes, séries de TV, musicais de teatro e ópera e programas investigativos, sem contar as vezes que já serviu de inspiração para contos e romances, músicas e bandas e até, como já postei aqui antes, pseudônimo de cineasta. Aproveitarei, então, o clima de horror de outubro para falar sobre um filme e uma minissérie frutos da atração da personagem: ‘A arma de Lizzie Borden’ e ‘The Lizzie Borden Chronicles’.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Veja Mais Mulheres: Filmes #38-42

Oi, oi, oi!

Em outubro, sempre faço altas programações com temática de terror, mas obviamente nem sempre meus planos se concretizam. Queria fazer posts sobre filmes, séries, livros... Bom, pelo menos vou postar agora cinco filmes de terror dirigidos por mulheres que vi nas últimas semanas: ‘XX’ (coletânea de 4 diretoras dos Estados Unidos, Canadá e México), ‘A atração’ (Polônia), ‘Bilocation’ (Japão), ‘Prevenge’ (Inglaterra) e ‘Raw’ (França).